55 3332-4425 janilton2000@gmail.com

 

Não são todos que tem a  grandiosidade de reconhecer e agradecer por um gesto de bondade, mas todos os que reconhecem jamais deixarão de ser duplamente gratificados. Quem sabe agradecer e retribuir faz a melhor semeadura que a vida pode proporcionar.

Um famoso escritor conta a história de uma família rica, que foi convidada a passar um fim de semana na bela propriedade de uma outra família: a casa dos Churchill.

As crianças se divertiam porque havia uma deliciosa piscina na propriedade.

No último dia, ocorreu uma tragédia. O menino menor quase afundou. As crianças puseram-se a gritar, procurando alcançar com as mãos o pequeno, que se afogava, mas inutilmente. Por fim, o pequeno Alexandre Fleming, filho do jardineiro, ouviu os gritos e saltou dentro da piscina, salvando assim o menino.

Quando o pai ouviu a história, sua gratidão não teve limites. Ele se dirigiu ao senhor Fleming, o jardineiro, e disse:

– Seu filho salvou a vida do meu filho, o que posso fazer pelo senhor?

– Ora, o senhor não precisa fazer coisa alguma, disse o jardineiro, meu filho fez o que qualquer outro faria.

– Mas eu preciso fazer alguma coisa pelo seu filho. Que apreciaria ele?

– Bem, desde que aprendeu a falar, tem manifestado o desejo de ser um médico.

O homem estendeu a mão ao senhor Fleming, e disse:

– Seu filho frequentará a melhor escola de Medicina que houver na Inglaterra.

E sustentou a palavra.

Ao final da Conferência de Teerã, o mundo foi sacudido com a notícia de que Churchill estava doente com pneumonia. Os meios de comunicação da Inglaterra transmitiram por toda a nação, o desejo de que o melhor médico do Império Britânico tomasse um avião para Teerã e assistisse ao Primeiro-Ministro.

Esse médico foi o Dr. Fleming, o descobridor da penicilina. Os seus esforços foram coroados de êxito. Mais tarde, Winston Churchill eletrizou o mundo com a declaração:

“Não é sempre que um homem tem a oportunidade de agradecer ao mesmo homem por haver-lhe salvo a vida duas vezes”.

O pequeno Fleming, que havia salvo a vida do pequeno Churchill, quando este se afogava numa piscina, tornou-se o Dr.Fleming, que de novo lhe salvou a vida.

O pai de Winston Churchill jamais sonhara, que, ao dar à Alexandre Fleming a oportunidade de estudar na melhor escola de Medicina da Inglaterra, estava provendo o meio de salvar a vida do seu filho, pela segunda vez, através do mesmo homem.

Saber reconhecer o que recebemos é multiplicar o que ofereceremos e o bem sempre retorna para a sua fonte. Tenha gestos de gratidão e colha muito mais do que plantar e ACORDE PARA A VIDA